fbpx

Avanço no combate ás Alergias!

O que procura o paciente ao entrar no consultório do médico alergologista-imunologista? A resposta mais ouvida é ´´a cura da doença alérgica´´. Geralmente, essas pessoas são encaminhadas por outros especialistas, como clínicos, pediatras, otorrinolaringologistas, dermatologistas e até ginecologistas que esgotaram seus métodos terapêuticos. Em outras situações, o próprio paciente faz a procura espontânea, a fim de buscar investigação e tratamento.

Da mesma forma que outras doenças, o diagnostico das alergias se baseia em uma história clinica cuidadosa. A anamnese(historia de doença atual) tem como objetivo descobrir e localizar no tempo e no espaço o tipo de contato com o alérgeno. Ás vezes, pode ser difícil indentificá-lo através de anamnese, principalmente quando se tratam de várias alergias simultaneamente e quando a exposição tem um caráter crônico, tornando difícil sua caracterização.

Existem métodos laboratoriais e testes alérgicos que vem em auxilio do médico, baseado na administração de antígenos(substancias alergênicas), em que se provoca uma pequena reação alérgica localizada. Portanto, é possível reproduzir uma alergia com pequena quantidade do produto suspeito na pele do paciente. Ou mesmo, através de pesquisas no sangue.

Método in vivo

O método in vivo mais utilizado para diagnóstico de alergias são os testes cutâneos. Na prática clinica do alergista, os testes têm representado uma ferramenta diagnóstico primordial. Em geral, podem ser divididos em dois grupos: os de leitura imediata e os de leitura tardia. Sua técnica simples, rapidez na realização, baixo custo e alta sensibilidade explicam sua posição chave na investigação diagnóstica das alergias. ´´Na verdade, até os dias de hoje, ainda não temos disponíveis protocolos ou diretrizes que norteiam a realização desses testes. Sabemos que existem fatores que influenciam no resultado e a idade é um deles. A partir de três meses de idade já se consegue uma reação de papula e eritema com predominância do eritema em ciranças de pouca idade (menores de dois anos de idade). A positividade volta a declinar a partir dos 60 anos´´, explica a alergologista Lorena Madeira. Ela diz ainda que usualmente se faz exames tipo prick ou cutâneo em crianças a partir de dois anos.

Um pré-requisito  para realização de qualquer teste cutâneo é a capacidade da pele reagir normalmente diante do estímulo.  Esta pode ser inibida por medicações, especialmente anti-histamínicos e antidepressivos. Essas drogas devem ser descontinuadas, se possível. As orientações medicas são de que os antialérgicos devem ser suspensos em media sete dias antes do teste cutâneo de leitura imediata.

Os testes de puntura ou prick test podem ser indicados em suspeita de doenças respiratórias alergias (rinite alérgicas ou mistas, asma brônquica, aspergilose bronco pulmonar alergica0, associadas a outras doenças respiratórias como dermatite atópica (eczema), urticária aguda ou crônica, estrófulo( alergia a picada de insetos, alergia a veneno de insetos tipo marimbondo ou vespa e abelha, alergia a alimentos e anafilaxia).

Indicação

A indicação deve ser baseada em uma historia clinica e exame físico  do paciente. Esse exame cutâneo irá confirmar o diagnostico de doenças IgE mediada( anticorpo das doenças alérgicas).

São enumeradas algumas vantagens comparativas entre testes cutâneos em relação dosagem serica de IgE especifica (exame no sangue do paciente).

Teste de puntura

Trata-se de um exame bem mais barato para o paciente e convênios de saúde, com maior sensibilidade, maior número de alérgenos disponíveis, resultado imediato (10 a 20 minutos), tecnicamente mais fácil, boa correlação com a história e Ige sérica especifica.

No caso de não ser possível a realização do teste de putura, pode ser realizada a determinação in vitro da lge específica (sangue0, por meio de ensaios imunoenzimáticos. São métodos mais específicos, porém, menos sensíveis ede maior custo.

´´Os testes cutâneos de leitura imediata e de puntura (prick test) são considerados a melhor ferramenta para diagnóstico das alergias na prática clínica diária, pois são seguros, de fácil execução e boa reprodutividade. É importante no diagnóstico etiológico identificar as doenças alérgicas para determinação do padrão de sensibilização da população e tratamento adequado dessas doenças.

Diagnóstico

Qualquer avaliação diagnóstica deve ser indicada com critérios clínicos, a fim de evitar procedimentos desnecessários. O conhecimento da fisiopatologia das doenças em investigação é essencial para o correto diagnóstico e tratamento.

Imunoterapia

Outro motivo, além dos métodos diagnósticos para o paciente ser encaminhado ou procurar o alergista, é o método específico de tratamento com a Imunoterapia, que são vacinas dessensibilizantes. ´´Vale lembrar que nem todas as alergias podem ser tratadas com vacinas. Sabe-se que as doenças alérgicas são frutos de uma reação exagerada do próprio organismo e a cada ano a alergia é cada vez mais considerada uma epidemia global. Cabe ao alergista determinar e orientar quais pacientes estão indicados á utilização de vacinas dessensibilizantes.´´ diz Dra. Lorena Madeira.

Rinite alérgica

A rinite alérgica ou nasal tem sido apontada de modo universal como uma das principais formas de doença crônica na criança, adolescente e adulto. É a mais prevalente  manifestação de hipersensibilidade dentre as doenças atópicas, afetando de 25% a 35% dos indivíduos, com maior incidência em crianças e adolescentes. Trabalhos recentes mostram que 44% a 87% dos pacientes com rinite alérgica apresentam rinite mista, uma combinação de rinite alérgica e não alérgica. A rinite pode ser apontada como responsável por grande número de falta de trabalho e absenteísmo na escola. ´´ O diagnóstico  e tratamento precoces da rinite são de grande importância do diagnostico precoce através dos testes cutâneos.

Os testes cutâneos alérgicos também são indicados para investigar outras doenças como Conjuntivite Alérgica, Asma Brônquica, Urticária Aguda ou Crônica, Dermatite Atópica (eczema alérgica), Alergia a picada de insetos(mosquitos, vespa, marimbondo, abelha), Alergia alimentar, Alergia á fungos (Candidíase Alérgica de Repetição).

Os testes cutâneos com extratos padronizados apresentam resultado rápido e seguro.

Contraindicações

Estão contraindicados na presença de infecção no local a ser realizado o teste e quando o paciente apresenta sintomas alérgicos exacerbados no momento da realização do exame. Dentre as contraindicações relativas destacam-se os eczemas agudos e crônicos, urticária em atividade, gravidez, doenças sistêmicas, doenças inflamatórias agudas (febre).

Em caso de antecedentes de reações alérgicas graves, como choque anafilático, o teste de puntura(cutâneo) não esta contraindicado, mas seguere-se a realização prévia de dosagem de Ige especifica In vitro (no sangue). O mais importante é que o resultado seja correlacionado com a clínica do paciente e a história de exposição, evitando assim, uma orientação inadequada para o caso.

´´ Não é incomum casos de pacientes que realizam o Rast (exame de alergias no sangue) com positividade para determinado alimento e o paciente nega qualquer reação (sintomas) alérgica, no entanto, esses pacientes começam a fazer uma dieta de exclusão desnecessária. Ou, casos de pessoas que iniciaram a vida com alergia a determinados alimentos e ficam fazendo dieta de exclusão por muitos anos quando algumas alergias alimentares podem desaparecer. As alergias á proteína do leite de vaca e a proteína do ovo, por exemplo, podem desaparecer com o amadurecimento do sistema gastrointestinal e sistema imunológico. Então, 75% das crianças inicialmente alérgicas a esses alimentos, entre os dois e cinco anos, podem ficar bem espontaneamente sem intervenção médica´´. Informa Dra. Lorena.

Por esse motivo os testes podem ser repetidos para decisão de manutenção ou liberação da dieta de exclusão. Alergias a crustáceos, peixes e amêndoas tendem a ser definitivas. ´´Existem raros casos de resolução dessas alergias, mas devem ser cautelosamente avaliados.´´

Indicações das vacinas.

Nem todas as alergias podem ser tratadas com vacinas dessensibilizantes. Cabe ao alergista determinar e orientar quais pacientes estão indicados. A indicação deve considerar a gravidade e a duração dos sintomas. A gravidade pode ser avaliada por sintomas objetivos e subjetivos, assim como seu impacto na qualidade de vida. Deve-se também considerar o desejo do paciente de evitar ou reduzir o tratamento medicamentoso prolongado.

A imunoterapia provoca uma tolerância ás substâncias que inicialmente provocam reação de hipersensibilidade . Consiste na aplicação de quantidades gradualmente maiores de um extrato alergênico (Padronizado) a um paciente alérgico com intuito de melhorar os sintomas associadosá exposição subsequente a esse alergênico. É considerado o único tratamento que modifica a história natural das doenças alérgicas, sendo potencialmente curativo para as alergias.

O tempo de tratamento orientado pela ASBAI( Associação Brasileira de Alergia e Imunologia) é de três a cinco anos. ´´Importante saber que mesmo após a interrupção o resultado da dessensibilização é sustentável na grande maioria dos pacientes que concluírem o tratamento´´.

A adesão ao tratamento das alergias é fundamental para a sua eficácia. Todos os esforços devem ser tomados no sentido de educar o paciente  para aumentar sua obediência  (manutenção) ao tratamento. Alguns quando percebem a melhora decidem por conta própria interromper as vacinas.  Isso deve ser desestimulado, pois a interrupção antes do tempo necessário leva mais cedo ou mais tarde ao retorno retorno dos sintomas. Dependendo do tempo de interrupção terá que ser reavaliado para decidir qual dose e concentração do retorno ao tratamento.´´ Conclui

Search

+